Fazer a limpeza da caixa d’água periodicamente previne contaminações

Manutenção deve ser programada para acontecer a cada seis meses

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) mostram que 80% das doenças no mundo estão ligadas, direta ou indiretamente, à qualidade da água. Elas acontecem pela ingestão da água, de alimentos que foram lavados com ela até pelo simples contato com a pele. Nas casas, essas situações são prevenidas apenas com a limpeza da caixa d’água.

Além dos problemas de saúde, deixar de higienizar as caixas pode resultar em entupimentos e tubulações danificadas. Também permite o surgimento de micro-organismos prejudiciais à saúde.

Veja as novas opções de filtros 

A água que chega aos canos residenciais, em boa parte do Brasil, é de boa qualidade, mas pode encontrar muita sujeira pelos encanamentos antes de entrar na caixa d’água. É nesse caminho que podem chegar sujeiras que prejudicam a saúde e a estrutura hidráulica do prédio.

Manutenção

Apesar de todos os problemas passíveis de acontecer com a falta de higienização dos reservatórios, ela não é feita periodicamente. Muitas pessoas acreditam que a manutenção anual é suficiente, mas não é. O ideal, para evitar qualquer tipo de problema com contaminação, é fazer a limpeza a cada seis meses.

Com a limpeza da caixa d’água feita semestralmente, evita-se a proliferação de bactérias, fungos e protozoários. Alguns tipos de reservatórios, com o tempo, tendem a soltar alguns desses componentes e, por isso, independente do tipo de caixa.

É preciso lembrar que essa água será usado para lavar e cozinhar alimentos, lavar roupas, louças, para a higiene pessoal e também para consumo direto de animais, por exemplo. É fundamental que ela esteja apropriada para esses usos.

Se a caixa não estiver limpa, porém, pode apresentar fragmentos minerais, argilas, areias e materiais orgânicos acumulados. Com o tempo, esses componentes vão contaminando a água. E a sujeira em si já é o suficiente para ver o problema, afinal, lavar a louça com água suja.

Outro detalhe que não pode ser esquecido é deixar a caixa bem fechada, pois impede que animais, insetos, objetos, sujeiras externas e outras coisas entrem ou caiam dentro da caixa. É dessa forma também que se evita a reprodução do Aedes aegypti, o mosquito que transmite dengue, zika, chikungunya e, em alguns casos, pode transmitir a febre amarela.

Fazendo a limpeza da caixa d’água

Para começar, feche o registro da caixa d’água um dia antes. Assim, não há desperdício e o restante da água armazenada poderá ser usada na limpeza. Uma boa quantidade para “sobra” é de 20 centímetros de água no fundo da caixa. Feche a saída da caixa para essa água não ir embora. Agora é hora de começar a limpeza:

• Com um pano limpo ou uma esponja macia, lave as paredes da caixa usando a água dela. Não use escova de aço, vassoura, sabão, detergente ou outros produtos químicos;

• Retire a água suja com a ajuda de outro pano ou outra esponja, limpos. Pegue todos os resíduos com uma pá;

• Seque bem todas as paredes da caixa com outros panos limpos;

• Ainda com a saída da caixa fechada, deixe entrar um palmo de água e adicione dois litros de água sanitária;

• Deixe a solução por duas horas e use-a para molhar as paredes com uma brocha e um balde ou caneca de plástico;

• Acompanhe o processo a cada 30 minutos para ver se as paredes secaram. Se tiver seca, faça quantas aplicações da mistura forem necessárias até completar duas horas;

• Depois desse tempo, com o registro fechado, abra toda as torneiras, chuveiros e dê todas as descargas para a solução desinfetar todas as tubulações do prédio. Não utilize essa água para higiene pessoal nem para manipulação de alimentos;

• Abra o registro e deixe a caixa encher. Agora a água pode ser utilizada normalmente.